sábado, 29 de junho de 2013

Crítica: O Rato Humano (1988)


Olá, meu nome é Lucas, e estarei ajudando a servir aos senhores o melhor da 7ª arte underground.

Se quiserem saber mais sobre meus trabalhos anteriores e minha XP me deem um toque!

Bem, vamos começar, espero que gostem!

--------------




O RATO HUMANO

Há alguns anos, após o inicio do declínio das fitas VHS, o destino me levou a uma locadora que estava para fechar as portas. Lá encontrei o que seria o estopim para meu hobby dos últimos 8 anos... os FILMES DE TERROR, especialmente os FILMES TRASH.

Quando bati o olho na prateleira da sessão de terror, lá estava ele, majestoso e empoeirado (nunca devia ter sido alugado): O RATO HUMANO. Com um titulo forte, sucinto mas ainda assim um pouco exagerado, ganhou minha atenção. Comprei por R$ 3,00. Dali para frente o levei comigo a casa de todos os meus amigos para mostrar a preciosidade que havia adquirido. Alguns com ar de desdem (me senti igual ao protagonista de "Christine - O Carro Assassino"; quando Arnie vai comprar o Plymouth vermelho caindo aos pedaços e Dennis, seu amigo, faz cara feia!), outros querendo me surrupiar o "precioso" como se fosse a ultima esperança cultural da humanidade.

Bem, voltando ao que interessa:
O filme é uma produção italiana, no original "Quella villa in fondo al parco" (RAT-MAN/EUA), de 1988, tendo como locações a República Dominicana.

A "trama" gira em torno do estranho ser criado em laboratório, pelo doutor Oben, um médico maluco como tantos outros que conhecemos tão bem de outros longas. O doutor cruza o esperma de um rato com um óvulo humano (?!?!?!?!) no intuito de exibi-lo em um congresso de cientistas. Mas seu hamster... quer dizer, sua criação escapa e leva o terror à cidadela com suas garras afiadíssimas que podiam dilacerar gargantas facilmente e ainda matar instantaneamente por leptospirose (?!?!?!?!).
Como mocinha, temos uma bela potranca loira, que faz algumas cenas de 'nu artistico' (aaaah os anos 80 XD), ela é irmã de uma das vítimas do famigerado assassino de 70 cm e procura vingança junto a um escritor de romances policiais.

O ator que interpretou o monstrinho, que mais parece um pokémon (Sandsherew), é o dominicano Nelson de la Rosa, que morreu nos Estados Unidos em 2006, aos 39 anos, ostentando o título de menor homem do mundo, com 72 cm. Ele ainda teve participação na refilmagem de 'A Ilha do Dr. Moreau' em 1996 com Marlon Brando, e Val Kilmer, ou seja, realizou o sonho de muito ator grandão de Hollywood ao participar de um filme com o Poderoso Chefão!

NOTA ROTEIRO: 7,5
NOTA ESFORÇO: 9,0
NOTA INTERPRETAÇÃO: 9,5
____________________________
NOTA FINAL: 8,6


★★★★☆








Compartilhe: