quinta-feira, 24 de julho de 2014

Crítica: Passado Negro (1989)


"O espelho..."

A picada crítica da vez é "Black Past", do alemão Olaf Ittenbach (Burning Moon, Premutos). Filme feito na Alemanha em '89, outro grande filme do ano, ano este de grandes clássicos pro Cinema de Terror. Não sei os filmes mais atuais de Ittenbach (porque ainda não vi), mas com os antigos, só de bater o olho você já sabia que era dele, ele deixava uma identidade carimbada, principalmente na Fotografia da película, o ambiente dos filmes eram bem peculiares. Com orçamento geral de produção estimado em, mais ou menos 1900 dólares. Filme feito em '89, mas que só ganhou lançamento em 2000.



Cena sensacional.

O filme fala sobre a história de Thommy, um jovem estudante, que se muda para uma nova casa com seu pai e suas duas irmãs antipáticas, lugar repleto de mistérios, onde muitos acontecimentos bizarros e sangrentos já aconteceram.... Após um dia qualquer, Thommy decide revirar os achados do porão em busca de uma cama de hóspedes, mas tudo o que encontra é um livro medonho e um pequeno espelho...


Uma cena de Terror...

Ao ler o livro Thommy começa a ver os relatos sobre um homem que trancou seu filho no porão da casa para morrer de fome, ao pensar que ele estava possesso de um demônio, porão este, sem nada para o garoto, ele somente olhava no espelho que lá estava, todos os dias, até dar seu último suspiro. É... sem sombra de dúvidas, uma parada meio Evil Dead (haha). Fortes influências.


hahahaha

Além desta primeira influência chupada que mencionei, o filme também brinca com cenas de desmembramentos com machado, além dos bizarros demônios que nunca parecem morrer em definitivo, só voltam para atormentar cada vez mais. Assim como em Evil Dead, o filme se mostra em torno de um personagem principal, que sofre transformação evolutiva, durante o percurso do filme...

Gramunhão.

Um excelente filme de mortes. Película extraordinariamente antiquada, você sente aquele ar de filme antigo, de filmes do começo da década de '90, e isso não se faz mais, não basta só filmar com uma câmera antiga, o clima ancestral do filme influência em tudo, desde roupas, cortes de cabelo, carros da época, entre outras coisas, e aqui em específico, a simplicidade de tempos mal dotados tecnologicamente, de um filme feito, inteiramente com uma câmera VHS, de qualidade à lá mp6 da china.


Conseguiram fazer algumas cenas agoniantes pra este filme...

"Black Past" pode ser considerado um filme caseiro pré-90's, e é justa essa nomenclatura para ele, mas ele não é só uma porcaria qualquer feita de qualquer maneira, ele tem identidade. Olaf Ittenbach sabia muito bem o que estava fazendo, acredito eu... Esse filme é um show de violências, demônios, tripas, um verdadeiro banho de sangue e é repleto das clássicas mortes bizarras, geralmente presentes nas obras do diretor Ittenbach. 
 

E digamos que se ainda hoje não é tão fácil assim fazer filmes com poucos recursos, imagina em '80, mesmo que seja no final da década, ainda havia um inacesso muito grande, principalmente para câmeras legais, era tudo muito caro e antiquado, mas Olaf soube aproveitar bem isso.


Cara, Roteiro simples mas legal, dentro de uque Fotografia linda, crua e simples, totalmente old school do Trash, pra quem gosta claro, é uma boa. Estética de filme amador, com conceito. Efeitos sonoros bem na cara, nitidamente feitos em "estúdio", com a dublagem, já Visuais, quase nada, nenhum... Dublagens exotéricas. Trilha Sonora constipada, cai certinho com a película. Vale a pena. Quem ama filmes caseiros, mas que não são qualquer porcaria, hão de se deliciarem.


Nota: 6.0
Crítica originalmente por: Hugo Haizer
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário