sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Dissecação completa: "Fantasma II" (1988) [Atualizado: 06/09/2015]

Cartaz oficial do filme ampliado

Obs.: Esta não é uma crítica sobre o filme, é uma dissecação e conterá spoilers, então se você ainda não assistiu não lhe recomendamos, nossas dissecações consistem basicamente em apurar e abordar todas as informações dos bastidores do determinado filme, à partir de fontes verídicas e citando também as devidas e possíveis especulações de bastidores, de detalhes à fatos de maior importância, aqui está um material selecionado e feito para quem realmente é fã e quer se informar sobre tudo nas produções do filme. Espero que gostem.


Já fizemos uma mesma dissecação do primeiro Phantasm, agora falaremos do Phantasm II, uma sequência que pode facilmente ser considerada a mais bem estruturado em termos de produção dos quatro filmes da franquia lançados, muita gente gosta bem mais até que o primeiro filme, e isso é raro para uma continuação ainda mais dos anos 80, e é melhor estruturado porque Don Coscarelli conseguiu uma parceria de peso com os estúdios da renomada produtora Universal Studios, vantagens e desvantagens à parte, Phantasm pôde ganhar mais popularidade e se passar mais conhecido ao redor do mundo por contar também com uma estrutura bem maior de distribuição mundial contando também com uma super promoção de festa do lançamento do filme, isso levou os filmes a um novo nível, dando o que antes era só status de cult como também clássico do gênero.

Universal Studios aposta no Phantasm II; Sob nova direção

Passados nove anos da produção do primeiro filme, o diretor e roteirista Don Coscarelli já estava sob constante pressão dos fãs para filmar uma sequência do primeiro Phantasm, no momento o filme original já havia se tornado um cult ao redor do mundo, em meados de '86 à '87 (principalmente em torno da Europa), mas o diretor simplesmente não conseguia criar um roteiro que desse a devida sequência, então decidiu começar o filme no imediato fim, após a cena final do filme anterior na casa do Reggie. Para a reconstrução foi necessário refazer um flashback com Reggie, usando uma garota vestida igual ao Mike ainda criança sendo sempre vista em ângulos traseiros, onde a câmera nunca pegava seu rosto, Reggie por sua vez teve de pintar o cabelo de preto e contar com o auxílio de uma leve maquiagem para poder parecer 10 anos mais novo.

O estúdio Universal Studios viu potencial a ser explorado e se interessou por uma sequência porque visava uma franquia de Terror bem sucedida (naquele período muitas franquias faziam sucesso nos Estados unidos e era grana na certa), então investiram impressionantes três milhões de dólares na produção; Este foi o menor orçamento de qualquer dos filmes investidos pela produtora na década, e claro, o mais elevado orçamento de qualquer filme Phantasm, um grande salto, ainda mais comparando com o primeiro filme ainda independente.

Vantagens de uma verba maior

Dentre outras coisas agora Angus Scrimm pôde contar com mais ternos conforme ele mesmo falou:

"Após os nove anos passados eu voltei a fazer o tall man mas com a acessibilidade de não quer que usar somente um terno e um mesmo par de sapatos... Aliás, eu mantive os sapatos e terno mas como era um orçamento maior tínhamos mais dois ternos confeccionados sob medida para o tall man, então tive o benefício de não ter que usar só um terno dias seguidos." (Angus Scrimm em entrevista ao documentário Phantasmagoria, 39:54m)


Os vários locais de filmagem do filme na Califórnia

Tal como aconteceu com o filme original, grande parte dos cenários internos usados vieram de uma construção em um armazém na vizinhança de Chatsworth, na Califórnia, (Los Angeles, EUA); Cenas exteriores à casa foram filmadas em vários locais ao redor do Sul da California. Os locais foram algo se importância inominável para a obra que deu um clima bem mais macabro à obra.

Alguns comparativos de cenas do filme com os respectivos locais de filmagem na Califórnia.







(Imagens cedidas por Movies Locations and More)

Novo time nos efeitos especiais; Mais possibilidades na criação de cenas com maquiagens


Ninguém menos que Greg Nicotero e Robert Kurtzman (renomados maquiadores do ramo de Terror que já trabalharam diretamente com Tom Savini, e mesmos maquiadores de filmes como Hora do Espanto e Dia dos Mortos), depois de KNB EFX, foram recrutados para os efeitos especiais e maquiagem.

Agora, com o auxílio de profissionais na criação de efeitos visuais Coscarelli pôde expandir os horizontes em mostras cenas mais "ousadas" e elaboradas no assunto, tanto é que neste filme aparecem mais em primeiro ângulo os Dwarfs, os anões demoníacos apresentados no primeiro filme, podemos ver também bem mais do gore nojento, um território ainda pouco explorado, no primeiro Phantasm, chegando ao seu ápice na cena final do tall man explodindo em sangue amarelo.

E por falar em efeitos visuais... As novas esferas


Os efeitos das novas esfera ficaram por conta da especializada Dream Quest ImagesD. Kerry Prior, o supervisor, (ele também fez esferas para o terceiro Phantasm, e construiu a esfera giratória de lâmina que corta a orelha do padre na cena) e Steve Patino que construiu um deslumbrante conjunto de esferas metálicas.

Começam os problemas de restrição da Universal Studios; Reavaliação de elenco requerida

Apesar de tudo, nem tudo eram flores, o estúdio exercia extremo controle sobre as produções do filme, e eles não permitiram que Coscarelli incluísse quaisquer sequências de sonho ou ambiguidade.

Este é o único filme da série que não inclui todo o elenco original principal (Bill Thornbury e seu personagem Jody nem aparecem neste filme, o único por sinal). O filme é o único a trocar o ator de um personagem principal, e ninguém menos que Mike.

Isso aconteceu porque os executivos da produtora Universal estavam decididos a retirar os atores Michael e Reggie porque eles eram desconhecidos e estavam foram do ramo desde o lançamento do primeiro Phantasm, fora isso queriam colocar um de seus futuros ''atores estrelas'' na sequência para tornar seu rosto mais conhecido e assim investir em sua carreira.

Coscarelli assim se viu entre a cruz e a espada e foi obrigado a fazer uma audição com os executivos e os dois atores para tentar escalar eles novamente para o novo filme. No fim das contas seus esforços valeram-lhe uma concessão: Ele foi autorizado a manter um dos dois, mas teria que substituir o outro; Coscarelli optou por manter Bannister e lançou James Le Gros no lugar de Baldwin. inteligentemente. Angus Scrimm como Tall man e Reggie Bannister como Reggie então foram conservados.

Foi ainda exigido o acréscimo de um lado mais romântico para o filme, explorado através do personagem Mike. A atriz Paula Irvine foi escalada para o papel de sua 'namorada' com poderes telepáticos.

Brad Pitt no papel de Mike, por pouco...

Brad Pitt quase foi escalado para interpretar Mike no filme, segundo dizem até chegou a fazer o teste em audiência, só que Don Coscarelli optou pelo LeGross, que mais combinaria com o papel e quem Coscarelli achava mais apropriado para a realização.

LeGros no papel e a encrenca do elenco; mágoas póstumas

A nomeação de James LeGros para o papel de Mike teve um efeito conflituoso sobre os principais membros do elenco do filme, acredita-se que porque a ligação entre os atores do filme ia além do próprio filme, e interagiam num clima amistoso, quase que como uma família, conforme já disse Bill ao documentário Phantasmagoria. LeGros no entanto, afirma que gostou de seu tempo na produção e que se deu muito bem com o elenco e equipe durante os tempos de filme.

Este foi o primeiro filme como estrela na carreira de LeGros, que um ano fez uma pontinha em Quando Chega a Escuridão; Em uma entrevista Bannister disse que a atuação de LeGros foi "inicialmente controversa entre os fãs de hardcore, mas que com o tempo tornou-se mais aceita".

Hoje em dia, Don Coscarelli, Angus Scrimm, e Reggie Bannister todos parecem elogiar as experiências passadas com o ator em set. No entanto Michael Baldwin parece continuar guardando mágoas sobre perder seu papel e não se incomoda em esconder de ninguém, nos comentários em áudio no DVD do terceito Phantasm (O Senhor da Morte, 1994 - no qual ele voltou a atuar), ele se referiu duas vezes ao Fantasma 2 (1988) como "o filme que não deve ser nomeado" e declarou em uma entrevista em podcast que ele pessoalmente considera um filme horroroso.

LeGros, por outro lado não têm demonstrado muita gratidão logo que ele não comenta ou dá entrevistas sobre o filme, ele negou relatar qualquer coisa para o livro Phantasm Exhumed que faz biografia da franquia.

As cenas pra lá de controversas (satanismo no filme); Cenas com o padre Meyers

U.S. Conference of Catholic Bishops (Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos - entidade religiosa) repudiou o filme se opondo extremamente sobre o lançamento do mesmo, rotulando-lhe como "moralmente ofensivo" devido às suas cenas de forte teor satânico, como aquela em que o padre é enforcado pelo tall man com seu próprio crucifixo de ponta-cabeça, após a pergunta: "Quem é você para questionar a palavra de um servo do Senhor?", entre outras cenas.

Aliás, já que estamos falando dele, a cena em que o Padre Meyers tem uma de suas orelhas cortadas por uma esfera no corredor que conhecemos é refilmada, a cena precisou de ser filmada duas vezes porque na primeira tomada houve uma falha de filmagem e acabou faltando um quadro essencial e a filmagem não ficou boa.


Sam Raimi presente nas produções do filme 

Don disse que em algum tempo enquanto aconteciam as filmagem desta continuação ninguém menos que Sam Raimi lhe visitou no set de filmagens. Raimi queria um papel no filme, ao menos como cenógrafo ou alguém que fosse morto por uma das esferas mas como a produção já tava fechada e encaminhada ele não pôde participar. Então Coscarelli decidiu fazer uma pequena homenagem ao amigo, e pôs em uma das cenas seu nome em um saco na cena do crematório.

O dito escrito

As informações diziam:
Sr. Sam Raimi, Masculino, 170 lbs. Entregar em latão urn.

A produção do anão do planeta vermelho



Howard Berger, um grande maquiador, fez todo um revestimento de corpo inteiro para o ator Ed Gale, que interpretou vários dos dwarfs (anões), como na cena da cozinha da casa de Reggie antes da explosão (ainda no começo do filme) e na cena do planeta vermelho, inclusive Berger recomendou Gale para os papéis porque já haviam trabalhado juntos. Ed Gale por sua vez descreveu como foi feita a cena do planeta vermelho.

Com o auxílio de uma roupa especial sob medida bem fina, ele usava a vestimenta emborrachada mas havia todo um preparo para colar certas partes no corpo em condição de deixar mais realista como pele. E a cena foi filmada num local repleto de pedras para com auxílio leve de computação parecer o planeta vermelho num tom avermelhado, fora os efeitos de voz.

O problema é que era num dia muito quente de verão e a cena acabou precisando ser refeita umas 3 vezes, sendo que da 2a vez para a 3a o ator foi descansar do calor e quando voltou, logo depois, a parte de trás de sua vestimenta se rompeu, assim ele ficou nu e como a cena ainda não havia sido completada decidiram por continuar e fazer ela num ângulo baixo e lateral, que não mostrasse a falha em suana roupa.

Já na cena da cozinha foi preciso uma máscara que cobriu seu busto (cabeça e ombros) e a tal máscara já veio com olhos então sua atuação meio difícil.

As duas explosões da casa de Reggie, usadas no filme; Por trás das câmeras o lado burocrático da realização

A cena de explosão da casona de 2 andares de Reggie, no começo do filme, foi bem ousada para os níveis de Phantasm, agora no filme em menos de 10 minutos de cenas já havíamos visto duas explosões, mas as cenas não foram feitas duas vezes, foi necessário organização da equipe para filmar em paralelo à mesma cena em lugares diferentes, de um lado com o Angus Scrimm, e de outro com LeGross e Bannister.

Ao contrário do que se pensa, a casa não era de papelão, foi usada uma verdadeira casa que estava em construção no caminho da rodovia California 105. A Universal Studios comprou a casa por US$200 do Estado da Califórnia, sob a condição de que eles iriam limpar a área após a cena. A casa foi equipada com fios, morteiros, bombas de pólvora negra e uma abundância de gasolina para explodir em chamas. Posteriormente, a produtora manteve sua palavra e levantou uma equipe para remover o que restava da casa no local.

A Primiere, evento de divulgação do lançamento do filme; O Outdoor do filme em Los Angeles


Conforme pode ser conferido nos trechos do vídeo acima houve uma enorme premiere do filme em Los Angeles, no dia 8 de Julho de 1988. A pequena festa contou com diversas distribuições de camisetas brancas simples com a estampa da arte do cartaz para os convidados, e também foram Samantha Phillips (a personagem Alchemy), Don Coscarelli - diretor, e participação especial de Angus Scrimm todo estilizado como Tall man, com direito ao seu clássico carro fúnebre Hearse, o mesmo usado no filme. Tudo foi realizado no Pacific Theatre, um cinema tradicional da cidade de Los Angeles.

Foto feita e cedida por Movies Locations and More

Como forma de divulgação também houve um Outdoor em Los Angeles prestigiando o filme que naquele momento estava em cartaz.

Angus Scrimm pousa ao lado de seu billboard.


Críticas e aceitações de críticos durante lançamento; Arrecadação de retorno final

Phantasm II estreou no verão de 1988 e foi aclamado pela crítica. O crítico de cinema Dave Kehr do Chicago Tribute (um dos maiores jornais de Chicago) escreveu, "Coscarelli conseguiu captar a textura de uma ''desarticulação'', um pesadelo meio-esquecido", e o jornal New York Times definiu o filme como "grotescamente elegante e assustador".

Até hoje o filme é considerado pelos fãs como o mais cheio de ação da franquia. Coscarelli tem grande orgulho em que, dizendo: "Phantasm II foi o nosso épico de ação na série e é bom saber que nossos fãs apreciam ele".

Estima-se que o filme tenha arrecadado $7.282.851 de dólares em todo o mundo no período que se manteve em circulação pelos cinemas (segundo os sites especializados Box Office Mojo e The Numbers), um ganho quase duas e meia vezes maior que o investimento total dos estúdios da Universal.



Fontes oficiais: IMBD, Wikipédia, Phantasmagoria (Documentário oficial sobre a franquia), Extras do DVD de Phantasm 2 e 3, Discussões e debates do Fórum Phantasm Community e blog do Phantasm Community, Site oficial Phantasm.com.

Agradecimentos especiais

Equipe do Movies Locations and More (blogue de localização de locais de filmagem de filmes) por permitir a postagem de suas imagens autorias.

Set-Jetter (blogue especializado sobre locações de filmes) por permitir a postagem de suas imagens autorias.

E por último mas não menos importante, consultas e contribuições do grande fã e conhecedor do assunto, Fábio Gurski (valeu pela força, informações e por me passar o Phantasmagoria).

Compartilhe:

2 comentários:

  1. Muito bom o texto, obrigatórios para todos os Phans!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ótimos textos, fico feliz de poder encontrar tanta informação detalhada já tinha lido algo sobre os filmes, mas só consegui assistir no Youtube, o primeiro em 2015 e o segundo agora em 2016, espero que encontre os outros também.

    ResponderExcluir