Pular para o conteúdo principal

Ted Bundy pt.II: O cemitério de cabeças e suas vítimas [Atualizando]



Esta é a segunda parte da nossa sessão de matérias especial sobre Ted Bundy, já falamos sobre Ted Bundy segundo os arquivos do FBI – com diversos documentos relatando informações. E agora: As vítimas de Ted Bundy. Um apanhado com detalhes incríveis sobre as vítimas, seus últimos momentos e detalhes também dos crimes.

Bundy atuou muito nas proximidades e cidades de Washington e Taylor Mountain. Todas as suas vítimas eram mulheres, com grande aproximação de jovens e mais bonitas, sempre abordando-as de forma tranquila e calma, seguido por um abcesso violento de fúria.

Entre suas maiores táticas de abordagem, ele usava três: (Com gesso em braço ou perna) – pedir ajuda para carregar algo, a um método mais simples, oferecer e dar carona. Naqueles tempos era algo muito mais comum carona entre estudantes e jovens, tanto que após as histórias de Bundy circularem passou-se a criar um esteriótipo de medo e as pessoas perderam um pouco deste hábito (principalmente as mulheres). E outro tipo de abordagem: Invasão domiciliar sempre desapercebido, na madrugada, em dormitórios femininos compartilhados entre estudantes. Uma de suas marcas registradas era pegá-las de surpresa e espancá-las enquanto dormiam até a morte como foi o caso diversas vezes, entre elas um de seus últimos crimes, já após sua fuga, sendo que este tipo foi o mais suscetível, ele agia na calada da noite, não haviam testemunhas e se notasse a vítima, ele já estava há quilômetros de distância.



Mas como homem de boa aparência que Bundy sempre foi, arrumado, enturmador e elegante, o método de abordagem com violência não era muito o seu forte. Ele sempre forçava amizade com as jovens e ganhava-lhes a confiança, buscando conhecer sobre a vítima e suas vulnerabilidades antes de dominá-las – podendo assim se abastecer sempre de suas intermináveis mentiras, subterfúgios e enganações, para atingir o seu doentio objetivo de satisfazer os desejos mais macabros: Espancar, violentar, estuprar e matar, praticando necrofilia em casos mais sinistros.

Sempre houve muita conexão entre Bundy e suas vítimas estudantes, talvez por ele próprio ter sido um estudante de modo aplicado, e por sua relação aparentemente normal mas mentalmente perturbada com mulheres, esse era sua forma de agir.



Documento de origem desconhecida (usado nas investigações):


Tiragem de texto – ampliada e melhorada

(DO1-Jan. 20) VÍTIMAS DE ASSASSINATO DE BUNDY --Vítimas do assassino convito Ted Bundy, mostradas nas fotos do arquivo da esquerda para a direito. Lisa Levy, Margaret Bowman, irmãs de irmandade da Universade do Estado da Flórida em Tallahassee, Fla., que morreu em 1978 e Kimberly Diane Leach, de Lake City, Fla., jovem estudante que também foi assassinada em 1978. Bundy está escalado para morrer terça-feira na cadeira elétrica da Flórida só pela morte de Leach. Na sexta, a suprema corte da Flórida recusou qualquer recurso que impeça a execução.
(AP LaserPhoto) (jls61836mbr-orlando sentinel) 1989 Lesma: BUNDY
A Listagem mais completa e recente de vítimas e outras fortes suspeitas:
Por data de homicídio ou desaparecimento:

13/08/1962
Nome: Anne Marie Burr
Idade: 8 anos de idade
Desaparecida: 13 de Agosto de 1962
Ocupação: Sem
Método de assassinato: Desconhecido
Última vez vista: Tacoma, Pierce County, Washington.
Encontrada: Não

23/06/1966
Nome: Lonnie Trumbell 
Idade: Desconhecida (algo entre 18 e 30 anos)
Ocupação: Aeromoça
Método de assassinato: Espancamento até a morte (com tábua)
Local do crime: Seattle, Washington

31/01/1974
Nome: Lynda Ann Healy
Nascimento: Janeiro de 1952
Idade: 21 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Espancamento até a morte
Desaparecida: 31 de Janeiro, 1974
Última vez vista: Universidade Seattle, Washington
Encontrada: 3 de março de 1975 Taylor Mountain, Washington

12/03/1974
Nome: Donna Gail Manson 
Idade: 19 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Desconhecido
Desaparecida: 12 de março de 1974
Local de desaparecimento: Evergreen State College, perto de Olympia
Encontrada: Bundy reivindicou sobre uma parte dela encontrada em 3 de março de 1975 em Taylor Mountain, Washington

17/04/1974
Nome: Susan Elaine Rancourt 
Idade: 19 anos de idade (há quem diga 18)
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Espancamento até a morte

Desaparecida: 17 de abril de 1974, Central Washington State College, Ellensburg
Encontrado: 03 de março de 1975 - Taylor Mountain, Washington

06/05/1974
Nome: Roberta Kathleen Parks 
Idade: 20 anos de idade (há quem diga 22)
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Concussão

Desaparecida: 6 de maio de 1974, de OSU em Corvalles, Oregon.
Encontrada: 03 de março de 1975 Taylor Mountain, Wa.

01/06/1974
Nome: Brenda C. Ball
Idade: 22 anos de idade.
Ocupação: Desempregada
Método de assassinato: Espancamento até a morte / Estrangulamento

Desapareceu: Maio 25, 1974 - fugiu de casa em Redmond, Washington
Encontrada: 17 Junho 1974 em Millersylvania Park.

11/06/1974
Nome: Georgeann Hawkins
Idade: 18 anos de idade
Ocupação: Oficial de Justiça
Método de assassinato: Concussã
o

Washington 

14/07/1974
Nome: Janice Ott
Idade: 23 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Desconhecido


14/07/1974
Nome: Denise M. Naslund
Idade: 19 anos de idade
Ocupação: Secretária / Estudante
Método de assassinato: Concussão

Washington 

02/08/1974
Nome: Carol Valenzuela
Idade: 20 anos de idade
Ocupação: Desconhecido
Método de assassinato: Estrangulamento / Espancamento até a morte

Washington

02/08/1974
Nome: Vítima não identificada
Idade: Entre 17 e  23 anos de idade
Ocupação: Desconhecido
Método de assassinato: Desconhecido

Washington
02/10/1974
Nome: Nancy Wilcox
Idade: 16 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Desconhecido

Utah

18/10/1974
Nome: Melissa Smith
Idade: 17 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Estrangulamento/ Crânio fraturado

Utah

31/10/1974
Nome: Laurie Amie
Idade: 17 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Estrangulamento/ Crânio fraturado

Utah

08/11/1974
Nome: Debbie Kent
Idade: 17 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Desconhecido

Utah

12/01/1975
Nome: Caryn Campbell
Idade: 23 anos de idade
Ocupação: Enfermeira
Método de assassinato: Crânio fraturado

Colorado

15/03/1975
Nome: Julie Cunningham
Idade: 26 anos de idade
Ocupação: Instrutora de Ski
Método de assassinato: Crânio fraturado

Colorado

06/04/1975
Nome: Denise Oliverson
Idade: 25 anos de idade
Ocupação: Desconhecido
Método de assassinato: Desconhecido

Colorado

15/01/1978
Nome: Lisa Levy
Idade: 20 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Crânio fraturado

Florida

15/01/1978
Nome: Margaret Bowman
Idade: 21 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Espancamento até a morte / Crânio fraturado

Florida

09/02/1978
Nome: Kimberly Leach
Idade: 12 anos de idade
Ocupação: Estudante
Método de assassinato: Estrangulamento / Degolamento

Florida

Outros casos atribuídos à Bundy, com indícios, sem maiores detalhes ou vestígios das vítimas:

1973 – Rita Lorraine Jolly, 17 anos, Condado de Clackamas, Oregon
1973 Vicki Lynn Hollar, 24 anos, Eugene, Oregon
1973 – Katherine Merry Devine, 14 anos, Seattle, Washington
1974 – Breanda Joy Baker, 14 anos, Seattle, Washington
1975 – Nancy Baird, 21 anos, Farmington, Utah
1974-1975 Sandra Weaver, 17 anos, Utah
1974-1975  Sue Curtis, 17 anos, Utah
1974-1975  Debbie Smith, 17 anos, Utah
1975 – Melaine Suzanne Cooley, 18 anos, Nederland, Colorado
1975 – Shelly K. Robertson, 24 anos, Denver, Colorado


Que foram atacadas mas sobreviveram ou fugiram:

23/06/1966 Lisa Wick, idade desconhecida (18 – 25), Seattle, Washington
Sobreviveu – Ficou em coma por alguns dias, sobreviveu

04/02/1974 – Joni Lenz, 18 anos, Washington
Sobreviveu Teve dano cerebral e vagina dilacerada, mas sobreviveu

08/11/1974 – Carol DaRonch, 18 anos, Lake City, Utah
Fugiu – Sem grandes danos físicos. Famosa por ajudar a por Bundy atrás das grades
O cemitério de cabeças de Bundy
Taylor Mountain (localizado no Condado de Sonoma – Califórnia) será para sempre lembrada por ser um dos depósitos de restos mortais de Ted Bundy e seus horríveis casos. Conhecido como cemitério de cabeças, ele depositava ali diversos restos mortais de suas vítimas, de mandíbulas, ossos, e (que se tenha conhecimento) exatos quatros crânios, as cabeças das vítimas: Lynda Ann Healy, Susan Elain Rancourt, Brenda Ball e outra. Bundy frequentemente visitava o local.

Rara foto do local, em plena busca por vítimas

As fotos da cena do crime nunca foram liberadas, sendo conteúdo essencial de investigação, uma ou outra imagem circula a internet mas nada comprovado. Existem muitas controvérsias sobre qual seria o local exato do tal cemitério.


Foto aérea do local


Detalhes sórdidos e perturbadores dados por Bundy sobre suas vítimas:
Bundy confessou para Hagmaier e Nelson (investigadores) em abril de 1986 (logo após a determinação de nova data de execução em 2 de julho) toda a sua gama de depredações, e isso inclui detalhes sobre o que ele fez algumas vítimas após suas mortes e locais.

Disse-lhes que ele revisitou o cemitério de Taylor Mountain, e um outro, Issaquah, entre algumas de suas próprias cenas de crime secundárias, por diversas vezes, para se deitar com os restos de suas vítimas e realizar necrofilia com seus corpos em decomposição até putrefação completa obriga-lo a parar. Em alguns casos ele levava várias horas em cada um desses lugares ou permanecia toda a noite.


Local atualmente

Confessou também que em Utah aplicava maquiagem no rosto da cabeça sem vida de Melissa Smith, e repetidamente lavava o cabelo da cabeça de Laura Aime. Falando de tais atos com a aparente desconexa descrição: "Se você tiver tempo, elas podem ser qualquer coisa que você quiser que sejam."

Estima-se que ele tenha decapitado aproximadamente doze de suas vítimas com uma serra, e mantido pelo menos um grupo de cabeças (certamente das quatro encontradas mais tarde no cemitério – Rancourt, Parks, Ball, e Healy) em seu apartamento por um período de tempo antes de descartá-las.
DaRonch, a vítima-chave de Bundy que sobreviveu e ajudou a prendê-lo
Em 08 de novembro de 1974, Carol DaRonch, de então 18 anos, foi abordada por Bundy em Lake City, Utah, se passando por detetive, com uma história muito estranha, e ela prontamente desconfiou. Após DaRonch conseguir escapar de seu fusca, Bundy rapidamente encontrou outra vítima, e continuou sua farra assassina em Utah até o momento de sua prisão (por causa de algemas e materiais suspeitos no porta-malas do seu fusca) em agosto de 1975.

DaRonch apontou para ele numa fila de suspeitos, e seu testemunho ajudou a condena-lo por sequestro agravado, sentença que manteve Bundy na prisão enquanto a polícia em vários estados trabalhavam na construção de conexões e apuração de provas nos casos de assassinato contra ele. Em dezembro de 1977, ele escapou da prisão e fugiu para a Flórida, onde continuou com as mortes até sua captura final em fevereiro de 1978.

DaRonch manteve sua posição durante a fase penal de seu primeiro julgamento por assassinato. Em um artigo de 1989 que decorreu uma semana após a execução de Bundy, 15 anos após sua incrível fuga, DaRonch falou à revista People:
 

  "Eu nunca vou esquecer aquele sorriso malicioso enquanto eu viver", diz ela. 
Apesar de tudo, ninguém que entrou no universo distorcido de Ted Bundy, saiu sem cicatrizes, e Carol não é exceção. "Eu não confio em pessoas como eu costumava fazer", admite ela.

 "Você não posso mais. É um mundo mau lá fora. "Ainda assim, ela acha que superou o pior da sua experiência. "Eu decidi tentar bloqueá-lo da minha memória", diz ela. "Você não pode viver com medo para sempre." 
Anne Marie, a suposta primeira vítima de um Ted Bundy ainda adolescente

Anne Marie Burr: 8 anos de idade
Desaparecida: 13 de Agosto de 1962 
Última vez vista: Tacoma, Pierce County, Washington.
Descrição do crime: Costa que Anne Marie foi uma das primeiras vítimas de Bundy, a pobre garota vivia apenas a 10 casas do ainda jovem Ted Bundy, de 15 anos de idade. O entregador de jornais da cidadezinha de Tacoma já estava de olho nela, seguindo-a. Ela acordou uma noite para dizer aos pais que sua irmã estava doente, então a pequena menina loira presumivelmente voltou para a cama. Mas na manhã seguinte, ela não foi mais encontrada, e uma janela que dava para a rua, na frente da casa, estava aberta. A criança estava de camisola, prestes a ir dormir, quando desapareceu. Apesar de um grande esforço por parte da polícia da cidade, a menina nunca foi encontrada. A rua em frente de sua casa estava sendo quebrada para repavimentação do local e seu corpo pode ter sido facilmente enterrado em uma das profundas valas, apenas para ser coberto com terra e asfalto no dia seguinte. Bundy se tornava desconfortável e rapidamente mudava de assunto quando questionado antes de sua execução, sobre assassinatos de crianças, ele no entanto foi julgado como o mais provável responsável pelo caso, sem um devido esclarecimento até hoje.




Um apelo
para os mestres-detetives que lêem:

VOCÊ PODE AJUDAR A ACHAR
ANN MARIE BURR?

A polícia de Tacoma, Washinton, e família da pequena garota
que desapareceu a noite, precisa urgentemente do auxílio de qualquer leitor atento
que possa saber sobre informações que possam levar revelar o mistério por trás
desse trágico e desconcertante desaparecimento

ENQUANTO A POLICIA PROCURA, o paradeiro do desconcertante caso de Ann Marie Burr é um engano – um registro nos longos e distintos anais de Tacoma, departamento de investigações de Washington. Os relatórios formais e oficiais do âmbito de extensão do caso segundo detetives e homens uniformizados já tem 700 páginas; E com dúzias de relatos, memorandos, algo entre 35 fotografias, isso sem mencionar uma gama de teorias, muitas delas ainda para serem provadas ou desaprovadas pelos fatos.
     Este volumoso conjunto de documentos incluem,  como ingrediente-chave ––– ilegível –– o nome de todos os suspeitos no caso, 21 deles com todos os nomes de suspeitos no caso, dos quais já se checou, pelo menos por enquanto. Circunstâncias podem trazer atenção a qualquer um dos nomes.
     No fim de Outubro, 1965, Card No, 533 foi adicionada. – Texto incompleto

2ª e 3ª vítimas Duplo homicídio: Lonnie Trumbell e Lisa Wick
Lonnie Trumbell e Lisa Wick: Idades desconhecidas (algo entre 18 e 30 anos).
Assassinada: 23 de junho de 1966
Local do crime: Seattle, Washington
Descrição do crime: Lonnie estava namorando um xerife, e seu pai era um tenente do Portland Ore Fire Dept. Ela era uma morena bonita, e ela e Lisa Wick viviam juntas por causa de seus empregos mútuos de aeromoças. Ela viu seu namorado no fim da tarde, então falou com ele em torno de 22:00h daquela noite. Ela e Lisa estavam indo dormir e ela deu boa noite a ele. Na manhã seguinte, uma terceira amiga de quarte de Lonnie e Lisa (outra aeromoça), voltou para casa às 9:30 da manhã e encontrou a porta destrancada, o que era muito estranho. Ela entrou em seu quarto e pensou que estavam dormindo, mas elas não respondiam. Ela então acendeu a luz e ficou horrorizada com o que viu. Ambas as garotas tinham sido barbaramente espancadas. Lonnie Trumbell não sobreviveu ao ataque, mas Lisa sim, possivelmente por causa dos rolos macios que ela tinha ido para a cama vestindo. Ela permaneceu em coma por algum tempo. Ela não se lembrava de nada. Um pedaço de madeira coberto de sangue foi encontrado em um terreno baldio nas redondezas.

4ª vítima: Joni Lenz

Joni Lenz: 18 anos de idade
Assassinada: 4 de fevereiro de 1974
Local do crime: Washington
Descrição do crime: Joni tinha ido dormir em seu quarto de porão numa grande casa que vários jovens alugavam juntos. Na tarde seguinte, depois que ela não tinha aparecido durante toda a manhã, seus colegas da mesma casa foram ver o que aconteceu e encontraram-na deitada em sua cama, com seu cabelo e rosto completamente manchados de sangue seco. Ela tinha sido espancada com uma barra de metal, arrancada da estrutura de sua própria cama, e quando puxaram as cobertas para ver se ela ainda estava viva, eles ficaram horrorizados, o pedaço de metal tinha sido brutalmente enfiado em sua vagina. O mais incrível é que esta pobre menina sobreviveu ao ataque. O ataque de Bundy deixou danos irreparáveis em seus órgãos internos, e ela nunca mais recuperou a memória do ataque devido a graves danos cerebrais. Ela era uma menina tímida e amigável, sem inimigos, e tudo foi motivado simplesmente por um aleatório ato de violência selvagem sem precedentes.

5ª vítima: Lynda Ann

Nome: Lynda Ann Healy
Nascimento: Janeiro de 1952
Idade: 21 anos de idade
Desaparecida: 31 de Janeiro, 1974
Última vez vista: Universidade Seattle, Washington
Encontrada: 3 de março de 1975 Taylor Mountain, Washington

Descrição do crime: Uma menina bonita, alto (1,70m), magra, com cabelos escuros e longos, e de olhos azuis, Lynda trabalhava como meteorologista esqui para a Northwest Ski Reports. Ela era especializada em psicologia. Ela tinha crescido em uma casa de classe média-alta, perto de Seattle. Ela cantava muito bem, mas seu verdadeiro amor era trabalhar com crianças com algum tipo de deficiência mental.



Lynda Ann Healy era uma jovem que suspirava vida e seu nome fazia jus a ela. Seus olhos azuis cintilantes com seu longo cabelo castanho a diferenciava por onde quer que passasse. Uma mulher sexy, atraente e imponente com seu 1,70m. Estudante do último semestre do curso de Psicologia da Universidade de Washington, Lynda tinha como missão ajudar pessoas. Sua maior felicidade era trabalhar e ajudar crianças deficientes mentais. Era uma mulher obstinada que batalhava todos os dias, estudando e acordando as 5:30h da manhã para ir trabalhar como locutora na rádio Northwest Ski Reports, uma rádio a oeste de Washington que fornecia boletins sobre o tempo. Lá, sua bela voz era o

Ela morava em uma casa com quatro outras garotas, estudantes universitárias e todas já tinham ouvido falar do ataque a Joni Lenz, e normalmente eram muito cautelosas. Mas em 31 de janeiro, Lynda levantou às 5h30 (como sempre), e foi de bicicleta para o escritório onde trabalhava já que ficava a apenas algumas quadras dali. Seu dia foi de aulas e atividades normais. Ela havia escrito a última carta da sua jovem vida, a um bom amigo combinando um jantar na noite seguinte.



Ela então foi dormir, naquela noite, um pouco mais cedo que o habitual e ninguém ouviu ou viu nada. Quando suas colegas de quarto (quatros separados) chegaram em casa foram direto para a cama, pois não queriam perturbá-la, pensando que ela estava dormindo. Mas às 5h30h, seu alarme disparou e a menina do quarto ao lado do dela acordou para chamá-la, então voltou a dormir. Às 6h, quando o seu próprio alarme disparou, ela se surpreendeu ao ouvir que o de Lynda ainda estava tocando. Ela entrou e desligou, notando que a cama estava impecavelmente feita, o que era incomum, uma vez que Lynda nunca fazia até depois de voltar do trabalho.

 O chefe de Lynda ligou pouco depois, e então perceberam que Lynda não tinha ido trabalhar naquele dia, a bicicleta ainda estava no porão, e a porta lateral da rua estava escancarada, o que alarmou todas as meninas. Lynda era uma pessoa muito confiável, nunca faltou ao trabalho e nunca deixaria a porta aberta daquela maneira, e era do tipo que jamais sairia sem informar a alguém de onde estava indo. Seus pais apareceram para o jantar na noite seguinte, mas ela não, foi ai que eles souberam o quanto era sério. Eles chamaram a polícia.

Após a investigação, um policial puxou as suas colchas e encontrou uma fronha toda manchada e lençóis encharcados de sangue. Sua camisola de dormir estava no seu armário, havia uma linha no pescoço de sangue seco. As roupas que usaria naquele dia estavam faltando. Nem um vestígio do atacante ou do corpo puderam ser encontrados. Um ano mais tarde, durante uma investigação completa do que veio a ser conhecido como cemitério de Bundy, o crânio de Lynda foi encontrado, tendo as marcas inconfundíveis de "espancamento vicioso". Bundy confessou este assassinato antes de sua execução.


 

TÍTULO DE JORNAL: Polícia identifica mais 2 corpos
 



6ª vítima: Donna Gail


Donna Gail Manson: 19 anos de idade
Desaparecida: 12 de março de 1974
Local de desaparecimento: Evergreen State College, perto de Olympia
Encontrada: Bundy reivindicado sobre uma parte dela encontrada em 3 de março de 1975 em Taylor Mountain, Washington

Donna era uma estudante universitária muito inteligente, um flautista experiente com potencial para tocar em sinfonias de orquestra, e altamente individual. Ela tinha 1,5 metros de altura, com 45 quilos e com longos cabelos escuros, muito bonita. Apesar de possuir um alto QI, teve problemas de graduação, e tinha hábito fumar maconha sempre. Ela costumava viajar inesperadamente, contando para seus amigos contos de aventura com caronas até outras cidades. Sua companheira de quarto era obcecada por magia, morte e alquimia.

Ela sempre ficava fora até tarde, e pediu para sua colega de quarto cobri-la na aula enquanto ela dormia. Em março de 74, ela estava muito deprimida. Ela não foi dada como desaparecido durante 6 dias por causa de seu hábito de viajar inesperadamente. E em 12 de março ela saiu de seu quarto em torno de 19h para caminhar para um concerto de jazz no campus. Ela nunca mais foi vista com vida novamente. Bundy confessou o seu assassinato antes de sua execução e disse que seus restos mortais faziam parte de ossos não identificados encontrados em 3 de março de 1975, na cidade de Taylor Mountain.
Sétima vítima: Susan Rancourt
Susan Elaine Rancourt, 19 anos de idade
Desaparecida: 17 de abril de 1974, Central Washington State College, Ellensburg
Encontrado: 03 de março de 1975 Taylor Mountain, Washington

Susan se diferencia demais das outras meninas, sendo uma loira bonita com um corpo curvo que a fazia auto-consciente, com grandes olhos azuis. Com 1,6 metros e 54 quilos. Ela tinha seis irmãs, e trabalhava em 2 empregos a tempo inteiro, 7 dias por semana no verão antes do seu primeiro ano, para pagar pelo seu estudo. Ela era uma menina muito tímida, mas brilhante, com a ambição de se formar em medicina. Sua família se mudou para o Alasca e ela teve a coragem de ficar por si só e assistir CWSC.

Na faculdade, ela tirava a média de 4,0 e trabalhava em tempo integral em uma casa clinica. Ela tinha um namorado de outra área, ela saia todas as manhãs para aulas de karatê. Ela tinha pavor do escuro e de andar só, ela nunca ia a lugar algum sozinho, mas não foi o caso na noite do dia 17 de abril. Em período de final de estudo ela soube sobre uma nova vaga de emprego para assessores de clínica. Sempre à procura de uma oportunidade de ganhar mais dinheiro para se sustentar, e estava preocupada com a final, quando teve uma oportunidade que lhe custou a própria vida. Às 8 horas ela levou um par de roupas para a lavanderia do campus, em seguida, caminhou até a reunião do conselheiros sozinha. Estava escuro, mas o campus estava movimentado com os alunos. 

A reunião terminou às 9h, e ela tinha planejado ir a um amigo para ver um filme alemão naquela noite. O amigo no entanto nunca se encontrou com ela, Susan nunca aparecu.

Foi vista pela última vez deixando a clínica. Os investigadores encontraram apenas seu crânio em uma escavação em Taylor Mountain, cemitério de cabeças decepadas de Bundy. Ele foi brutalmente 
fraturado. Bundy confessou seu assassinato antes de sua execução.

Oitava vítima: Brenda Baker

Brenda Baker, 15 anos de idade.
Desapareceu em Maio 25, 1974 - fugiu de casa em Redmond, Washington
Encontrada: 17 Junho 1974 em Millersylvania Park.

Não existem detalhes sobre ela. Seu corpo já em estado de decomposição foi encontrado no parque, e a causa da morte foi impossível de ser determinar. Ela tinha fugido de casa, e nenhuma informação pessoal está disponível.

Nona vítima: Roberta Parks
Roberta Kathleen Parks, 20 anos de idade.
Desaparecida: 6 de maio de 1974, de OSU em Corvalles, Oregon.
Encontrada: 03 de março de 1975 Taylor Mountain, Wa.

Kathy era uma menina alta, magra, esbelta e com um longo cabelo loiro acinzentado, e tinha estudo sobre religiões do mundo. Ela estava tendo um péssima semana, quando ela desapareceu. Estava com saudades da sua família na Califórnia, e tinha terminado ha pouco com seu namorado. No dia 4 de maio ela teve uma discussão com seu pai no telefone, e sua irmã chamou da cidade de Spokane no dia 6 de maio para dize-la que o pai tinha sofrido um ataque cardíaco fulminante. Sua irmã ligou mais tarde com a boa notícia de que seu pai iria sobreviver.

Dizem que Kathy estava sentindo terrivelmente culpada sobre as discussões e o ataque de coração de seu pai. Naquela noite, ela concordou em ir até outro dormitório para tomar um café com amigos, mas ela nunca deu as caras.

Seu crânio foi encontrado na escavação junto com outros em Taylor Mountain, bem longe do seu dormitório Oregon. Bundy confessou seu assassinato antes de sua execução.

Décima vítima: Brenda Ball
Brenda Carol Ball, 22 anos de idade.
Desaparecida: 31 de maio de 1974, Burien, Wa.
Encontrada: 01 de março de 1975 nas montanhas arborizadas de Taylor Mountain

Brenda morava em Washington, tinha 1,61 de altura e 50 quilos, com olhos castanhos vivos. Na noite do dia 31 de junho para o º1 de maio, ela foi sozinha ao restaurante Flame Tavern. Ela disse a alguns amigos, naquele dia, que iria pegar uma carona até Sun Lakes, cidade no lado leste do estado, para encontrar com eles lá, mais tarde. Ela esteve no restaurante até as 2h da manhã, então, pediu para um músico a carona, mas ele foi para o sentido oposto.

Ela foi vista pela última vez no estacionamento, conversando com um homem com um braço dentro de uma tipoia. Porque ela era tão conhecida por ter um "espírito livre", seus amigos não pensaram que nada pudesse estar de errado com a sua ausência, e não lhe deram por desaparecida até quase 19 dias após ela ter sido vista pela última vez.

Em 1º  de Março de 1975, estudantes universitários que trabalham em Taylor Mountain, descobriram o primeiro de vários crânios naquela montanha, entre eles um que foi provado pertencer a Brenda Ball. Bundy confessou este assassinato antes de sua execução.


Décima primeira vítima: Georgeann Hawkins

Georgeann Hawkins, 18 anos de idade.
Desaparecida: 10 de junho de 1974 UW em Seattle, WA.
Encontrada: Seguindo coordenadas de Bundy, um de seus ossos foi encontrado em 6 de setembro de 1974, cerca de 3,2 quilômetros de Lake Sammamish State Park.

Uma pequena, bela garota de 1,52 de altura, e 52 quilos, Georgeann tinha longos cabelos escuros, grandes olhos castanhos, e era uma aluna excepcionalmente brilhante. Ela se mantinha em linha com um currículo raro. Mas ela estava tendo problemas com seu espanhol, e já tinha considerado deixar o curso. No dia de 10 de junho, ela ligou para a mãe e disse que iria no dia seguinte fazer as provas finais de Espanhol, em vez de desistir do curso.

Georgann tinha um emprego no Condado de Pierce, emprego temporário de verão, e falava com seus pais sobre isso toda semana. Ela pertencia ao clube de mulheres do Kappa Alpha Theta (uma fraternidade grega de letras só de mulheres).

Em 10 de junho, ela e uma irmã da faculdade tinham ido para uma festa e tinham bebido vários coquetéis com álcool. Georgeann depois foi para o dormitório do seu namorado dar boa noite e então fez seu caminho de volta para seu próprio dormitório, apenas 6 casas depois da dele, para se preparar para o seu exame. Ela era uma menina muito cauteloso e raramente ia a algum lugar sozinha, mas a rua estava tão bem iluminada... E quase deserta.


Murderpedia - vítimas de Ted Bundy
Matéria de revista - People
Vídeo com fotos raras
Gizmodo - 5 vítimas que ajudaram a prender seus malfeitores



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

35 imagens em preto e branco dos bastidores de "O Exorcista" (1973) em alta definição!

Sem sombra de dúvidas, um dos filmes mais adorados do gênero de Terror é O Exorcista (1973) de William Friedkin, o filme mais clássico e marcante de exorcismos que o mundo já viu, e para tira gosto (eu sei que é muito pouco) mas deixou aqui essas 35 imagens em preto e branco dos bastidores de "O Exorcista" (1973) em alta definição! Em breve tem mais, não esqueçam de curtir, seguir e fiquem a vontade para comentar o que quiserem comentar.



























E como esquecer... Dessas? Clássicas.






Fonte das imagens: Todas retiradas no Google, melhoradas.
Todos os direitos reservados aos autores das imagens, uso sem fins lucrativos.

10 Episódios indispensáveis de Contos da Cripta

Você quer assistir ao Contos da Cripta mas não tem tempo ou paciência para enfrentar 2.340 minutos (ou 39 horas) de episódios? Tudo bem, iremos dar a recomendação de 10 episódios essenciais e os melhores de todos, na minha humilde opinião de fã de carteirinha da série... Até porque muitos episódios não valem a pena e outros com exceções de elenco ou curiosidades, não é caso destes 10 eps. Todos são excelentes, de uma forma ou de outra, e são indispensáveis por estarem acima da média, indicado para fãs de Terror anos 80 e 90.

Um fato é que a maioria dos eps. da série contou com plot twists, reviravoltas, coisas que te pegam de surpresa no finalzinho, e isso foi difícil de se esquivar até mesmo nessa lista variada, de seasons variadas, sendo que quatro ou cinco episódios podem ter essas características, mas são todos bons e possuem seus diferenciais, e do primeiro ao quinto são os melhores que já vi da série, indiscutivelmente para mim (podendo alterar as ordens, com exceção do primeir…

Os brilhantes mapas dos Estados Unidos e Europa representados por filmes de terror!

Um usuário do imgur publicou algo muito curioso: Todos os estados dos Estados Unidos da América com suas respectivas localidades e estados e dando uma referência de vários grandes filmes de terror foram filmados, uma em cada estado.

Isso me deu a ideia de fazer esta postagem, é sempre interessante conhecer sobre esse tipo de coisa, e olhando por esses mapas temos uma percepção diferente, mais próxima, de alguma forma. Bem curioso pela trivia, fora casos peculiares de obviedades como Texas Chainsaw Massacre, que todos sabem onde foi feito, é legal conhecê-los dessa outra maneira. Confira:

*Vou deixar um mapa com os nomes dos estados abaixo.





E se você pretende visitar lá... Cuidado!



No entanto, essa ideia de um mapa com filmes de terror não é tão nova. Há um tempo atrás alguém do blog Reddit postou um super-mapa com diversos filmes do gênero por estado, você pode confirir aqui o PDF original em alta qualidade. Ou, caso prefira, clicar na imagem abaixo, para abrir uma nova janela.



E par…