sábado, 3 de setembro de 2016

Stranger Things: Somente outro clichê ou uma série que veio para fortalecer o gênero?!



Stranger Things é um seriado que pegou meio mundo de calças curtas, e eu sou um desses. Série que surgiu num momento muito estranho do Terror mundial, em que coisas até toscas vem à calhar, tal como acontece com séries de roteiro num nível aceitável mas que se refletem como maravilha das maravilhas pela falta de diferenciais de outras produções.

Anunciada de forma quase que surpresa pelo Netflix, a série gerou reações das mais diversas, já que como o próprio título diz, realmente é bem estranha. Se dividiu em surpresa agradável para muitos, não tanto para alguns outros. A série surge das entranhas desse novo formato de TV digital que ainda busca se definir tal como é a televisão convencional e ainda tem muito há melhorar, mas sobre a série em si, é uma produção interessante e merece, no mínimo, atenção.

Uma das primeiras boas jogadas sobre essa série é o momento em que ela surge. Num tempo em que o Terror busca cada vez mais se redefinir e se traduzir numa linguagem mais remodelada de novos tempos, isso é o que mais temos visto e como sempre acontece a cada nova década, e com o advento de aparatos tecnológicos, normalmente não faria muito sentido mais filmar, qualquer coisa que fosse, sem a presença constante de celulares, computadores, e tudo isso que vemos tanto em nosso âmbito todos os dias. Ai é o primeiro ponto onde "ST" foge dos padrões. Vai logo para os anos 80, onde computador era luxo e foda-se, isso você só pode encara de duas maneiras: Aceita e emerge nesse universo, de felicidade espiritual e não necessariamente material, ou você se desconcentra e acha pouco, minimiza, porque Stranger Things é isso, apesar de todas as esquisitices, o espírito, a essência é a nobreza, simples demais e se permeia disso, como por exemplo o que é (ou deve): Infância.



Na minha visão sobre essa obra de clima-nostalgia, antes de tudo, falando sobre esse divisor de opiniões chato demais, que é um dos primeiros borborinhos que chamam atenção sobre esse seriado. De um lado: Os que defendem que seja algo inovador e que fortaleça de alguma forma o gênero de Terror. Do outro: Quem considera um produto clichê extremamente superestimado assentado em boa publicidade, e só... Bom, na minha opinião, nenhum nem outro. A série é boa? Sem dúvidas. Muito boa, mas infelizmente para mim mostrou que tem um teto, e qualquer entremeio para diluir um Terror consistente num drama meia-boca tem grandes tendências de acontecer com a série se ela se prolongar demais.

Quanto a história e cinematografia: Há de se reconhecer e tirar o chapéu para toda a originalidade descendente de influências estampadas, de executar ideias novas em formatos antigos e extremamente saudosos, mas por tudo que isso possa representar, acho que por aí ainda não é o caminho, se basear nisso parar constituir uma série é nivelar por baixo, Stranger Things é um produto que deu certo mas não só pelo fator nostalgia, tem uma história que muitos consideram aceitável ao nível de Stephen King, bem escrita, firme e forte.



Outro motivo que gera polêmica é o enfoque em "atores mirins"... Ah, isso irrita os babacas de plantão. Incrível como a história, o contexto, roteiro, enfoque, percepção de ideias, perspectivas, tudo e quanto pode ficar de escanteio e ser trocado pelo detalhismo exigente e medíocre em cima de uma molecada de atores pouco conhecidos. Para mim isso é mediocridade da pura, vêem crianças atuando e sustentando de forma alegre e séria (quando tem que ser e como deveria ser) uma série diferente, mas por ser no Terror e traduzido como algo novo, desce à seco na goela de muitos dos críticos zé bundas, esses são maioria dos que negativam a ideia dessa série, e realmente, com pessoas dessa opinião não há muita discussão, a série é ruim porque sim. Entretanto, pode ser que este seja um dos grandes trunfos da série, eu pelo menos enxergo assim, há muito tempo não se via crianças com esse dever e mandando tão bem como estão esses.

O que o futuro da série nos reserva? Acho que muito ainda, mas a série tem que saber a hora de acabar. Tudo bem explorar maluquices: Conversar com lâmpadas, com paredes, entrar em outras dimensões. Tudo é válido... Eu disse tudo. O problema pode começar se em algum momento inflarem a série, as inquietações problemáticas são uma necessidade mas precisam ser interessantes. Se conseguir sustentar isso, vai ser um sucesso ainda maior na próxima temporada. Espaço para inovar tem e acredito que usará isso de forma correta. Yeah!

Independentemente de tudo aquilo que as pessoas acham sobre Stranger Things, acho que o futuro verá essa série com bons olhos, não imagino como sendo um produto desgastado em 10, 20 anos daqui pra frente, e isso que a série ainda tem muito o que trilhar, de repente se torne uma boa referência de uma produção bem-sucedida deste período nebuloso do gênero de Terror na TV.
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

conheça

https://hellblogdavan.blogspot.com.br/

+Parceiros

http://www.horrorgrafia.com.brhttp://www.attackfromplanetb.com/
http://www.bibliotecadoterror.com.br/
http://phantasmbr.blogspot.com
http://grindhousebrasil.blogspot.com.br/
https://imagemcamera.wordpress.com/
https://terrormania42.wordpress.com
http://uhpblog.blogspot.com.br/
http://cerebroinfernal.blogspot.com.br
http://mausoleudoterror.blogspot.com.br/
https://pulpmetalmagazine.com/
https://shedemonszine.blogspot.com.br
http://sessaodomedo.blogspot.com.br/